Views
1 year ago

MDA Tecnologias 3/2015 (PT)

  • Text
  • Sistema
  • Tecnologia
  • Nova
  • Sistemas
  • Tecnologias
  • Controle
  • Filtro
  • Rolamento
  • Produtos
  • Carga
MDA Tecnologias 3/2015 (PT)

NOTÍCIAS E MERCADOS Ele

NOTÍCIAS E MERCADOS Ele veio, Ele viu, Ele rugiu, e Ele conquistou Enquanto as cortinas desciam, na maior feira industrial do mundo em Hannover, o rugido do leão indiano a ter lugar na Índia, continua a ressoar em todo o mundo, revigorando a sua posição como o centro internacional do fabrico e investimento. A feira, onde foi concebido à Índia o cobiçado status de país parceiro, foi inaugurada pelo Primeiro-Ministro da Índia, juntamente com a Chanceler Alemã. Com o leão ‘make in Índia’ liberto, a presença indiana foi predominantemente visível em todos os recintos de feiras, e na cidade de Hannover. No discurso de posse do Primeiro- Ministro, ele mostrou a enorme demanda, e vantagem demográfica que a Índia oferece, e também sublinhou as enormes oportunidades são criadas para negócios de empresas alemãs, bem como para as empresas ao nível global. Mas o mais importante, ele destacou os passos significativos que o seu governo está dando, para garantir uma entrada suave e rápida, para que as indústrias de todo o mundo tomem parte na história do crescimento da Índia. Make in India A iniciativa make in Índia, pretende alcançar o crescimento sustentável a longo prazo, de 10 % do PIB da economia indiana, através do reforço da produção. Atualmente, a produção detém 15 % do PIB da Índia. O Primeiro-Ministro Modi quer que o setor da indústria transformadora cresça, e contribua acima dos 25 % do PIB da Índia. O objetivo geral, é construir uma infraestrutura de produção de classe mundial. Esta iniciativa centra se em 25 setores, chave industriais. Do ponto de vista da engenharia, os setores importantes identificados pelo governo são, a produção de Automóveis, e de Componentes de automóveis, produtos Químicos e Farmacêuticos, Construção e infraestrutura, máquinas Elétricas e sistemas Eletrônicos, energias Renováveis, Ferrovias. O próximo passo, é destinado a facilitar a infra-estrutura. A este respeito, o Primeiro-Ministro Modi tem prevista a construção de um “pentágono” de corredores industriais em todo o comprimento e largura da Índia. Vários novos corredores industriais já foram declarados. Por exemplo, o corredor industrial Delhi- Mumbai (DMIC) ou o corredor industrial Chennai-Bangalore,e o corredor industrial Amritsar-Kolkata. Em cada um dos corredores industriais, um corredor ferroviário de mercadorias dedicados atua como a espinha dorsal. O plano é desenvolver novas zonas industriais, centros logísticos e distritos residenciais e/ou cidades inteligentes, ao longo de 1 500 km de 6 MDA Tecnologias

NOTÍCIAS E MERCADOS comprimento de rodovia. Neste corredor o foco deve ser a TI, electrónica, automóvel e acessórios de auto, processamento agrícola e de alimentos, engenharia pesada, produtos farmacêuticos e setores biotecnológicos. Fabrico de alta tecnologia A definição de alta tecnologia, muda com o tempo, e com a tecnologia em desenvolvimento. Geralmente, a indústria de alta tecnologia, aproveita a vanguarda e a tecnologia mais avançada disponível. Este setor deverá ter o maior potencial de crescimento e de maior impacto econômico. O gov. da Índia identificou os principais setores, com maior potencial de crescimento e impacto de longo prazo, sobre a economia indiana. Com o tamanho e o poder de compra da classe média indiana a aumentar rapidamente, e que deverá duplicar até 2020 e duplicar de novo por volta de 2030, a Índia é, sem dúvida, um enorme mercado para a tecnologia de ponta, e de produtos. O problema-chave no mercado indiano, além de ser de custo-consciente, é a mentalidade do consumidor, fragmentado e pluralista, com enormes diversidades mutilinguísticas e multiétnicas. Este padrão de manta de retalhos, de estilos de vida divergentes e mudança de mentalidades, exige modelos de negócios variados, e as empresas precisam se adaptar às estratégias de mercado ‘go-to’, para as diferentes Índias. Roteiro para colaborações Indo Alemãs O principal objetivo da visita de Modi à Alemanha, foi o de forjar uma colaboração entre os dois países, que vá além da cooperação entre comprador e vendedor, para promover empreendimentos conjuntos, ou empreendimentos totais, R&D e desenvolvimento de habilidades em uma ampla gama de setores. O que Modi tem para oferecer às empresas Alemãs: Um apoio político de alto nível, um grupo detentor de forte participação para parceiros Indo-Alemães, constituído por todas as partes interessadas relevantes, incluindo os governos e representantes da indústria, instituições de I&D, instituições financeiras e bancos, grupos de reflexão e académicos etc. Estes grupos identificam as áreas de interesse, projetando mecanismos de desenvolvimento para a implementação de projetos. Constituir grupos industriais com infraestruturas de alta tecnologia, e instalações integradas para I&D, desenvolvimento de produtos, design e instalações de testes, unidades de produção associadas, laboratórios de pesquisa e universidades técnicas. Promover o fabrico inteligente, Campanhas de informação, e estratégia de entrada Correta no mercado: As empresas “Mittelstand” formam a espinha dorsal da economia alemã e os seus pontos fortes de fabrico. Muitas dessas empresas são campeãs ocultas. Ao contrário das grandes empresas, essas empresas, muitas vezes, não têm informação adequada sobre os mercados e oportunidades, e procedimentos para a entrada no mercado da Índia. O Governo da Índia e suas embaixadas, Institutos como IGCC (câmara Indo-Alemã do comércio) estão realizando diversas campanhas para chegar a estas empresas, através de vários canais. Perspetiva Após a apresentação feita pelo contingente indiano, as indicações dos participantes, principalmente dos líderes empresariais alemães, políticos, e decisores políticos, foram excelentes e otimistas. Eles ficaram, em primeiro lugar, muito impressionados e motivados, pela forma como a Índia tem levado a cabo a campanha make in Índia. Durante todo o mês, antes do início da feira Hannover, o ‘leão’ estava em toda a parte. Juntamente com a magnitude da campanha, os “manda-chuvas” da e conomia alemã também ficaram impressionados com a preparação e as apresentações organizadas pelas várias secções da delegação Modi. A Índia e Modi, com suas visões e ações, têm impressionado, até agora, os estabelecimentos na Alemanha, mas o que significa isso. Será que isso significa, que do próximo trimestre em diante, as empresas alemãs irão iniciar expansões de negócios na Índia? Será que isso significa que, de repente, as entradas do IDE na Índia aumentarão duas ou três vezes mais? Não, ninguém vai entrar e abrir as comportas. Mas isso, definitivamente significa, que as pessoas da indústria e do governo vão começar a olhar para a Índia, de uma forma nova e diferente. Eles irão ponderar sobre a Índia como um local para base de produção global. Nas semanas seguintes à feira de Hannover, pôde ser vista uma resposta forte das empresas alemãs maiores, com a BMW anunciando 50 % de localização da produção para os mercados indianos e asiáticos. A Volkswagen seguindo o terno, e a Mercedes Benz duplicando a sua capacidade de produção na Índia. A Honda anunciando seus planos para tornar a Índia o maior núcleo de duas rodas a nível mundial, e a General Motors tomando a decisão de colocar tarefas de produção e exportação na Índia, como sua agenda de topo, com o começo da oscilação dos preços na Coreia do Sul. Algo totalmente fora do comum a respeito da visita Modi, é que não houve acordos oficiais, assinados pelos dois governos. Bem, a resposta a isso será dada, provavelmente em outubro, quando Merkel se reunir com Modi, em Nova- Delhi. www.makeinindia.com